Bacalhau à Brás – Esch Café São Paulo

Hoje vamos contar a experiência gastronômica que tivemos no Esch Café de São Paulo! Ele na verdade é praticamente uma tabacaria/bar. A casa se orgulha de ter o selo “La Casa del Habano”, que prova a comercialização do legítimo charuto cubano.

Esch Café

Esch Café

O restaurante fica na região da avenida paulista, nos jardins. Cuidado ao usar o google maps para chegar até ele! O danado do google mostra o Esch bem no começo da alameda Lorena. Na verdade ele fica bem acima, próximo à esquina da alameda Joaquim Eugênio de Lima.

O Esch tem também duas unidades no Rio de Janeiro. Inclusive, este nosso blog avaliou o prato Entrecôte do Barão, que era o prato da boa lembrança do Esch Café Leblon de 2013.

Mas agora, voltemos ao Esch de São Paulo. Logo da entrada, o prato da boa lembrança fica bem lugar bem visível.

Bacalhau à Brás - Esch Café São Paulo

Bacalhau à Brás – Esch Café São Paulo

O prato em si, “Bacalhau à Brás” é muito gostoso. É grande, mas não enorme. É uma combinação bastante interessante de uma bacalhoada com ovos e batata palha. Diferente! Eu nunca tinha visto isto, mas me disseram que esta receita é antiga, não uma criação original do chef.

Bacalhau à Brás - Esch Café São Paulo

Bacalhau à Brás – Esch Café São Paulo

Um ponto a melhorar é do azeite que fica à mesa: fiquei pensando no final na refeição “este bacalhau merecia um azeite melhor”!

O preço é bem “salgado”: R$93,00, bem mais caro que o prato da boa lembrança que eu havia comido anteriormente, o “Medalhão do Barão”. Isto é inflação ou será que o custo do bacalhau é grande mesmo?

Os garçons fizeram a gentileza de oferecer um couvert sem custo porque “combinaria com o prato”. Um biscoito assado com um molho de tomate seco. De fato, combinou!

Desconstruindo o Niguiri – Kojima / Brasília

A capital federal é uma cidade muito interessante. Ruas e avenidas largas, quadras geométricas, comércio bastante espalhado, endereços precisos… E também um lugar de gastronomia refinada!

Resolvemos conhecer o Kojima da asa sul, restaurante que já conhecíamos de Recife e tínhamos gostado muito da experiência. O Kojima de Recife já está na Associação da Boa Lembrança há mais de 12 anos. Já o de Brasília está estreando agora no clube, apesar de já estar aberto desde 2009.

Kojima - Brasília

Kojima – Brasília

Domingo à noite, nós pensamos: “Vamos chegar lá sem reservar mesmo. Nem vai precisar, certo?!” Errado! O Kojima estava bastante lotado! A fila de sete pessoas na nossa frente nos assustou um pouco, mas resolvemos “encarar”.

A hostess, muito simpática, e a agradável área de espera nos fundos fizeram o tempo passar mais rápido e o nosso humor não se comprometer. A espera foi rápida, de mais ou menos meia hora.

Não é um restaurante grande. São dois andares. A iluminação para mim poderia ser mais clara, mas tem gente que gosta deste ambiente mais escurecido.

Os garçons são muito bons, atendem bem e são bem solícitos. E o mais importante: entendem muito da culinária da casa, o que infelizmente nem sempre acontece em outros restaurantes.

O prato da boa lembrança do Kojima é o “Desconstruindo o Niguiri”. Para quem não sabe, o niguiri é aquele bolinho de arroz com o peixe em cima.

Niguiri clássico de salmão

Niguiri clássico de salmão

Neste prato bastante criativo, o chef Alexandre Faeirstein, traz todos os elementos do Niguiri desmontados, de modo a lhe convidar para experimentar cada um deles em separado.

O prato da boa lembrança do Kojima

O prato da boa lembrança do Kojima

O arroz por exemplo, vem em separado, como se fosse uma porção. O salmão é rapidamente grelhado com maçarico, o que também é diferente do tradicional, e tem ovas de peixe em cima. O molho agridoce vem acompanhado de uma flor comestível. Não daria nota 10 para o prato pois achei a espuma bem picante, talvez com gengibre ou wassabi demais. Fora isto, é um prato realmente com significado e com bastante criatividade e cuidado.

Desconstruindo o Niguiri - Kojima

Desconstruindo o Niguiri – Kojima

O preço é uma surpresa positiva: R$ 63,90, o que por incrível que parece pode ser considerado baixo em relação aos outros pratos da boa lembrança de outros restaurantes do Rio e São Paulo. Vale a pena ter esta experiência.